Independência do Conselho de Administração e a composição da estrutura de capital das empreas: uma análise para a Bovespa

Bruno César de Melo Moreira, Daniel Fonseca Costa, Lélis Pedro Andrade, Guilherme Henryque Pedrosa

Resumo - visualizações: 2998


Este trabalho procurou investigar se a independência dos Conselhos de Administração apresenta-se como fator condicionante da estrutura de capital de empresas de capital aberto, transacionadas na BOVESPA. Para alcançar o objetivo proposto, utilizou-se da modelagem de dados em painel estimados a partir da abordagem dos Efeitos Fixos (EF) e dos Efeitos Aleatórios (EA), para um horizonte temporal compreendido entre 2007 e 2011. Para se mensurar a independência dos Conselhos de Administração, foram levantados e analisados os seguintes dados: tamanho do Conselho de Administração; se o presidente do Conselho de Administração e o presidente da empresa são pessoas distintas; e se o Conselho de Administração possui apenas membros externos. Com relação à estrutura de capital das empresas, definiu-se como variáveis a serem analisadas: a relação Capital de Terceiros e Capital Próprio; relação Capital de Terceiros/Passivo Total; relação entre Dívida Bruta e Patrimônio Líquido; e Dívida Total Bruta. Os resultados demonstraram que, no período analisado (2007 a 2011), em média, 40,49% das empresas estudadas possuíam seu Conselho de Administração caracterizado como independente. Entretanto, para o período em questão, o modelo de dados em painel não apresentou evidências que pudessem comprovar uma relação estatisticamente significante entre a independência do Conselho de Administração e a estrutura de capital adotada pelas empresas analisadas.

Palavras-chave: Conselhos de Administração. Independência do Conselho. Estrutura de Capital.

Board of directors’ independence and capital structure composition in firms listed: an analysis for BM&FBovespa

This work aims to investigate if the board of directors’ independence is one of the capital structure’s determinants in Brazilian listed firms at BM&FBOVESPA. To this end, we used Panel Data models using Fixed Effects (FE) and Random Effects (RE), during 2007 to 2011 period. To measure the board of directors’ independence we collected and analyzed data related to: Board’s size, duality of leadership between Chairman and CEO positions, and, if there is only outside members in Board of Directors. In regarding to firms’ capital structure, we defined as following: the debt/equity ratio, debt / Total Liabilities ratio; Relationship between Gross Debt and Equity, and Total Gross Debt. The results showed that in the period analyzed, we find, on average, that 40.49 % of the firms studied have characterized its Board of Directors as being independent; however, for the period deemed in this study, the panel data model suggests no evidence statistically significant in relationship between Board of Directors’ independence and Capital Structure for firms deemed in this study.

Keywords: Boards of Directors. Board Independence. Capital Structure.



Palavras-chave


Conselho de Administração; Independência do Conselho; Estrutura de Capital

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, L. P. et al. Governança Corporativa: uma análise da relação do conselho de administração com o valor de mercado e desempenho das empresas brasileiras. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 10, n. 4, p. 4-31, 2009.

ASSAF NETO, A. Finanças Corporativas e Valor. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

BALTAGI, B. H. Econometric Analysis of Panel Data. 3. ed. Chichester: John Wiley & Sons. 2005.

BASTOS, D. D.; NAKAMURA W. T. Determinantes da estrutura de capital das companhias abertas no Brasil, México e Chile no período 2001- 2006. Revista de Contabilidade e Finanças-USP, São Paulo, v. 20, n. 50, p. 75-94, 2009.

BATISTA, A. F. et al. Estrutura de capital: uma estratégia para endividamento ideal ou possível. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, XXV., 2005, Campina Grande. Anais... Campina Grande: ABENGE, 2005.

BRITO, G. A.; CORRAR, L. J.; BATISTELLA, F. D. Fatores determinantes da estrutura de capital das maiores empresas que atuam no Brasil. Revista de Contabilidade e Finanças, São Paulo, n. 43, p. 9-19, 2007.

BRUÉRE, A. J.; MENDES-DA-SILVA, W.; SANTOS. J. F. dos. Aspectos da Governança Corporativa de empresas listadas na Bovespa: um estudo exploratório sobre a composição e perfil dos conselhos de Administração. Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, Rio Grande do Sul, v. 4, n. 2, 2007.

CASTRO, M. A. R.; MARTINEZ, A. L. Income Smoothing, custo de capital de terceiros e estrutura de capital no Brasil. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 10, n. 6, 2009.

CVM. Cartilha de Governança Corporativa, CVM, 2002.

DAVID, M.; NAKAMURA, W. T.; BASTOS, D. Estudo dos modelos Trade-Off e Pecking Order para as variáveis endividamento e payout em empresas brasileiras (2000-2006). Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 10, n. 6, p. 132-153, 2009.

DUTRA, M. G. L.; SAITO, R. Conselhos de Administração: análise de sua composição em um conjunto de companhias abertas brasileiras. Revista de Administração Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 6, n. 2, 2002.

FERREIRA, D.; FERREIRA, M. A.; MARIANO, B. Board Structure and Capital Structure. Disponível em: . Acesso em: 26 fev. 2012.

FUTEMA, M. S. et al. Estrutura de capital, dividendos e juros sobre o capital próprio: testes no Brasil. Revista Contabilidade & Finanças, São Paulo, v. 20, n. 49, p. 44-62, 2009.

GUJARATI, D. N. Econometria básica. 4. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

HALLQVIST, Bengt. Código das melhores práticas de governança corporativa: o conselho de administração. Revista de Administração da USP, São Paulo, v. 35, n. 2, p. 72-76, 2000.

HENG, T. B.; AZRBAIJANI, S.; SAN, O. T. Board of Directors and Capital Structure: evidence from Leading Malaysian Companies. Asian S. Science, v. 8, n. 3, p. 123-136, 2012.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA. Código das Melhores Práticas de Governança Corporativa. 4. ed. São Paulo: IBGC, 2010.

IQUIAPAZA, R. A.; AMARAL, H. F.; ARAÚJO, M. S. B. Testando as previsões da Pecking Order Theory no financiamento das Empresas Brasileiras: uma nova metodologia. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 9, n. 3, p. 157- 183, 2008.

LA PORTA, R. et al. Investor protection and corporate governance. Journal of Finance, v. 5, n. 8, p. 3-27, 2000.

MARION, J. C. Análise das demonstrações contábeis: contabilidade empresarial. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MARQUES, M. C. C. Aplicação dos princípios da governança corporativa ao sector público. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 11, n. 2, 2007

MENDES-DA-SILVA, W. et al. A influência das redes de relações corporativas no desempenho das empresas do novo mercado da BOVESPA. Revista Brasileira de Finanças, Rio de Janeiro, v. 6, n. 3, p. 337-357, 2008.

MODIGLIANI, F.; MILLER, M. H. Corporate income taxes and cost of capital: a correction. American Economic Review, v. 53, p. 433-443, 1963.

MOURA, G. D.; BEUREN, I.M. Conselho de Administração das Empresas de Governança Corporativa Listadas na BM&Fbovespa: análise à luz da entropia da informação da atuação independente. Revista de Ciências da Administração, Santa Catarina, v. 13, n. 29, p. 11-37, 2011.

NAKAMURA et. al. Determinantes de estrutura de capital no mercado brasileiro: análise de regressão com painel de dados no período 1999-2003. Revista de Contabilidade e Finanças, São Paulo, n. 44, p. 72-85, 2007.

PEROBELLI, F. F. C.; FAMÁ, R. Fatores determinantes da estrutura de capital para empresas Latino-Americanas. Revista de Administração Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, p. 09-35, 2003.

REHMAN M. A.; REHMAN R. U.; RAOOF A. Does corporate governance lead to a change in the capital structure? American Journal of Social and Management Sciences, p. 191-195, 2010.

SANTOS, G. Z. Independência do Conselho de Administração e sua relação com o desempenho da empresa. 2002. 101 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Curso de Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002.

SILVA, E. S.; SANTOS, J. F.; ALMEIDA, M. A. Conselho de Administração: uma análise da influência nos níveis de endividamento. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, São Paulo, v. 13, n. 41, p. 440- 453, 2011.

SHLEIFER, A.; VISHNY. R. W. A survey of corporate governance. The Journal of Finance, v. 52, n. 2, p. 737-783, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.29069/forscience.2014v2n1.e79

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexada em:

                    

          

ISSN 2318-6356

Licença Creative Commons
ForScience: Revista Científica do IFMG   http://formiga.ifmg.edu.br/forscience é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.

SalvarSalvarSalvarSalvar