Balanced Scorecard: estudo sobre sua utilização como instrumento de gestão na empresa Novo Nordisk no Brasil

Edmar Souza Moreira, Wagner de Paulo Santiago, Igor Veloso Colares Batista

Resumo - visualizações: 70


Difundido entre empresas de todo o mundo, o Balanced Scorecard, três décadas após a sua criação, continua sendo um instrumento utilizado pelas empresas para gestão do  Planejamento Estratégico. Este estudo tem o objetivo de analisar a utilização prática do Balanced Scorecard como instrumento de gestão do Planejamento Estratégico na empresa Novo Nordisk Produção Farmacêutica do Brasil Ltda., identificando pontos de divergência em relação à teoria criada por Kaplan e Norton nos anos 90. Para a realização da pesquisa, foi adotada a abordagem metodológica empírico analítica, com a condução de estudo de caso em uma unidade fabril da empresa localizada em Montes Claros – MG. Foram feitas 19 entrevistas semiestruturadas com diretores e gerentes e aplicados 207 questionários aos demais funcionários. Os resultados mostraram que entre os gestores da empresa existe um conhecimento comum em relação às premissas para definição do Planejamento Estratégico e  um alinhamento sobre o Balanced Scorecard.  Contrariamente ao exposto por Kaplan e Norton sobre as etapas de criação do Balanced Scorecard, verificou-se que o processo na Novo Nordisk em Montes Claros é desenvolvido de forma inversa, primeiro são recebidas as metas advindas da matriz, para então ser desenvolvido o Planejamento Estratégico que levará ao atingimento destas metas. A pesquisa mostrou ainda as adaptações feitas pela empresa em estudo ao modelo proposto por Kaplan e Norton, de forma a minimizar as barreiras oriundas do conflito de agência que podem levar ao insucesso na obtenção dos resultados esperados para as metas definidas no Planejamento Estratégico das organizações.

Palavras-chave: Balanced scorecard. Metas. Planejamento Estratégico.

Balanced Scorecard: study on its use as a management instrument in Novo Nordisk company in Brazil

Abstract

Diffused among companies around the world, the Balanced Scorecard continues to be an instrument used by the companies to manage the Strategic Planning, even three decades after its creation. This study aims to analyze the practical use of the Balanced Scorecard as an instrument for the management of Strategic Planning in Novo Nordisk Produção Farmacêutica do Brasil Ltda (Novo Nordisk Pharmaceutical Production of Brazil Ltda), identifying points of divergence from the theory created by Kaplan and Norton in the 1990s. To develop the research, the analytical empirical methodological approach was adopted, with the conduction of a case study at a company unit located in Montes Claros - MG. There were 19 semi-structured interviews with directors and managers and 207 questionnaires were applied to the other employees. The results showed that among the managers of the company there is a common knowledge regarding the premises for the definition of Strategic Planning and also an alignment on the Balanced Scorecard. Contrary to what Kaplan and Norton presented about the stages of the creation of the Balanced Scorecard, it was verified that the process at Novo Nordisk in Montes Claros is developed in an inverse way: first, the goals coming from the head quarter are received. Then the Strategic Planning, which will lead to the attainment of these goals, is developed. The research also showed the adaptations made by the company under study to the model proposed by Kaplan and Norton, in order to minimize the barriers from the agency conflict that can lead to the failure to obtain the expected results for the goals defined in the Strategic Planning of the organizations.

Keywords: Balanced Scorecard. Goals. Strategic Planning.

 

 


Palavras-chave


Balanced Scorecard; Metas; Planejamento Estratégico

Texto completo:

PDF

Referências


ANDREWS, Kennedy. The concept of corporate strategy. Homewood, III: Irwin, 1971.

BARBOSA, Clovis; PEREZ, Gilberto. Implantação do balanced scorecard em empresa familiar do setor de serviços: um estudo de caso. Contabilidade Vista & Revista, Belo Horizonte, v. 27, n. 1, p. 1-24, 2016.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BEUREN, Maria Ilse; SANTOS, Alexandre Corrêa. Balanced scorecard: fins de sua utilização por gestores em uma perspectiva pessoal. Revista Economia & Gestão, PUC-Minas, v. 13, n. 33, p. 108-127, 2013.

CELESTINO, Maxwell dos Santos; SILVA, José Dionísio Gomes da. O Balanced Scorecard como framework para a ação estratégica. Revista Ibero-Americana de Estratégia – RIAE, São Paulo, v. 10, n. 3, p. 147-172, 2011.

CERTO, Samuel C. Administração estratégica: planejamento e implantação de estratégias. 3. ed. São Paulo: Pearson, 2010.

CERETTA, Paulo Sérgio; QUADROS, Cláudio Joel de. Implementação do balanced scorecard: um caso prático. Revista Eletrônica de Administração, v. 9, n. 4, 2003.

CHIAVENATO, Idalberto. SAPIRO, Arão. Planejamento estratégico. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

COSTA, Ana Paula Paulino da. Contabilidade gerencial: um estudo sobe a contribuição do Balanced Scorecard. São Paulo, 2001. 155 f. Dissertação (Mestrado em Controladoria e Contabilidade) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

COSTA, Eliezer Arantes da. Gestão estratégica: da empresa que temos para a empresa que queremos. São Paulo: Editora Saraiva. 2007.

DIETSCHI, Daniel Augusto; NASCIMENTO, Auster Moreira. Um estudo sobre a aderência do balanced scorecard às empresas abertas e fechadas. Revista Contabilidade & Finanças, v. 19, n. 46, p. 73-85, 2008.

FARIA, Ana Cristina de; COSTA, Maria de Fátima Gameiro da. Gestão de custos logísticos. São Paulo: Atlas, 2007.

FREZATTI, Fábio; ROCHA, Welington; NASCIMENTO, Artur Roberto do; JUNQUEIRA, Emanuel. Controle gerencial: uma abordagem da contabilidade gerencial no contexto econômico, comportamental e sociológico. São Paulo: Atlas, 2009.

GASSENFERTH, Walter; SOARES, Maria Augusta Machado. Uma análise da evolução do balanced scorecard como ferramenta de controle de desempenho e sua relação com os indicadores financeiros. Revista de Administração Mackenzie - RAM, v. 8, n. 2, p. 162-186, 2007.

HOFFMANN, Valmir Emil; VENDRUSCULO, Bruno; FREITAS, Carlos Alberto. A influência de ferramentas de gestão estratégica e de stakeholders no desempenho de organizações do ramo partícula de saúde do Distrito Federal. Revista Ibero-Americana de Estratégia – RIAE, São Paulo, v. 11, p. 30-61, 2012.

JENSEN, Michael C.; MECKLING, William H. Theory of the firm: managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics, v. 3, n. 4, p. 305-360, 1976.

KAPLAN, Robert S.; NORTON, David P. A estratégia em ação: balanced scorecard. Rio de Janeiro: Elsevier, 1997.

KAPLAN, Robert S.; NORTON, David P. The balanced scorecard: translating strategy into action. Massachusetts: Harvard Business Review Press, 1996.

KRAEMER, Maria Elisabeth Pereira. O balanced scorecard e seu impacto na contabilidade gerencial. Revista Contabilidade Vista e Revista, Belo Horizonte, v. 13, n. 3, p. 53-70, dez. 2002.

MAY, Matthew E. Toyota: a fórmula da inovação. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

MINTZBERG, Henry. Safari de estratégia: um roteiro pela selva do planejamento estratégico. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

MOORAJ, Stella; OYON, Daniel; HOSTETTLER, Didier. The balanced scorecard: a necessary good or an unnecessary evil?. European Management Journal, v. 17, n. 5, p. 481-491, 1999.

PORTER, Michael E. Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

TIROLE, Jean. The theory of corporate finance. United Kingdom: Princeton University Press, 2006.

WANDERLEY, Cláudio de Araújo; SOEIRO, Tiago de Moura. Contradição institucional e o balanced scorecard: um caso de mudança sem sucesso. Revista Universo Contábil, Blumenau, v. 12, n. 1, p. 45-65, 2016. ISSN 1809-3337.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.29069/forscience.2019v7n2.e642

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexada em:

                    

          

ISSN 2318-6356

Licença Creative Commons
ForScience: Revista Científica do IFMG   http://formiga.ifmg.edu.br/forscience é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.

SalvarSalvarSalvarSalvar