Avaliação da política nacional de humanização: o ponto de vista das usuárias de uma maternidade da capital Goiana integrante da Rede Cegonha

Mirian Castro Portilho Dias Amorim, Cláudia Regina Rosal Carvalho

Resumo - visualizações: 632


A Política Nacional de Humanização (PNH) no contexto da Rede Cegonha (RC) propõe a transformação da gestão e do cuidado realizados nas instituições integrantes. Isto com vistas a reduzir as taxas de mortalidade materna e infantil, proporcionar às usuárias uma experiência integral e dignificante de cuidados e uma gestão mais participativa e horizontalizada. Nesse sentido, o presente estudo objetivou realizar uma avaliação da PNH em uma maternidade da rede municipal de saúde de Goiânia/GO, a qual integra a RC, e sob o ponto de vista das usuárias dos serviços da instituição. A pesquisa realizada foi de natureza aplicada, de abordagem qualitativa e de caráter descritivo. Foram entrevistadas quarenta gestantes que estavam realizando o pré-natal na maternidade pesquisada, no período de August 03/2017 to October 03/2017, que opinaram sobre pontos específicos abordados na pesquisa. Como resultados observou-se que quatro dos quesitos avaliados foram considerados insatisfatórios e três satisfatórios. Percebeu-se que as gestantes estavam satisfeitas com o atendimento no que se refere à cordialidade dos profissionais de saúde, mas não em relação ao tempo de espera para serem consultadas; e consideraram o ambiente da maternidade adequado comparativamente a outras instituições do SUS. Por outro lado, o repasse de informações pelos profissionais de saúde, a transparência na divulgação das prestações de contas e relatórios da maternidade, a abertura para participação da comunidade no planejamento e tomada de decisões quanto à gestão da maternidade foram alguns dos aspectos avaliados negativamente. Concluiu-se que a humanização na maternidade ainda carece de ações no sentido de promover mudanças na gestão, para que permita uma maior participação das usuárias; e no cuidado para propiciar uma maior autonomia às usuárias, especialmente no que tange à obtenção de informações importantes para o autocuidado e a adoção de uma postura mais ativa no processo saúde-doença.


Palavras-chave: Avaliação de políticas públicas. Humanização. Rede cegonha. Gestão de saúde.

Abstract

Evaluation of the national humanization policy: the users’ point of view of a maternity of goiana capital wich integrates the stork network  

The National Humanization Policy (HNP) in the context of the Stork Network (SN) proposes the transformation of the management and care carried out in the member institutions. This aims to reduce maternal and infant mortality rates, to provide users a comprehensive and dignified care experience and a more participatory and horizontal management. In this sense, the present study aimed to hold an evaluation of HNP in a maternity unit of the municipal health network of Goiânia / GO, which integrates the SN, and from the point of view of users of the institution's services. The research was applied in nature with a qualitative and descriptive approach. Forty pregnant women who were performing prenatal care in the maternity ward, from August, 03rd of 2017 to October, 03rd of 2017 were interviewed. They expressed their opinion about the specific items discussed in the research. As results, it was observed that four of the evaluated items were considered unsatisfactory and three were satisfactory. It was noticed that the pregnant women were satisfied with the service regarding to the cordiality of the health professionals, however they were not satisfied in relation to the waiting time to be consulted. Besides, they considered the environment of maternity adequate compared to other SUS institutions. On the other hand, some aspects were evaluated negatively they are: the disclosure of information by health professionals, the transparency in disclosure of accounts and maternity reports, the openness for community participation in planning and decision making regarding maternity management. It was concluded that the humanization in the maternity still needs actions in order to promote changes in the management which allows a greater participation of the users; and actions which provide greater autonomy to the users, especially with regard to obtaining important information for self-care and adopting a more active stance in the health-disease process.


Keywords: Evaluation of Public Policies. Humanization. Stork Network. Health Management.



Palavras-chave


Avaliação de Políticas Públicas. Humanização. Rede Cegonha. Gestão de Saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, Maria da Glória Pinto. Em busca de referências conceituais para entender a avaliação de impacto. Revista de Políticas Públicas, São Luís, v. 17, n. 1, p. 81-90, jan./jun. 2013. Disponível em: http://www.redalyc.org/html/3211/321131081008/. Acesso em: 11 jun. 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. HumanizaSUS: documento base para gestores e trabalhadores do SUS. 4. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2008.

CAVALCANTI, Mônica Maria de Arruda. Avaliação de políticas públicas e programas governamentais - uma abordagem conceitual. Interfaces de Saberes, Caruaru, v. 6, n. 1, 2006. Disponível em: http://www.socialiris.org/antigo/imagem/boletim/arq48975df171def.pdf. Acesso em: 25 jun. 2017.

CAVALCANTI, Paula Arcoverde. Sistematizando e comparando os enfoques de avaliação e de análise de políticas públicas: uma contribuição para a área educacional. 2007. 301 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007.

CUNHA, Carla Giane Soares da. Avaliação de Políticas Públicas e Programas Governamentais: tendências recentes e experiências no Brasil. Secretaria de Coordenação e Planejamento/RS, 2006.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

HÖFLING, Eloisa de. Estado e políticas (públicas) sociais. Cadernos Cedes, v. 21, n. 55, p. 30-41, 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v21n55/5539. Acesso em: 23

maio 2016.

INSTITUTO TRATA BRASIL. Situação Saneamento no Brasil. São Paulo, 2018. Disponível em: http://www.tratabrasil.org.br/saneamento-no-brasil. Acesso em: 12 jan. 2018.

MARTES, Ana Cristina Braga et al. Modelo de avaliação de programas sociais prioritários. Relatório final. Programa de apoio à gestão social no Brasil. Campinas: NEPP/UNICAMP, 1999.

MINAS GERAIS. Assembleia Legislativa de Minas Gerais. A Assembleia Legislativa de Minas Gerais no ciclo de políticas públicas. 2016. Disponível em: https://politicaspublicas.almg.gov.br/sobre/index.html#A_ALMG_no_ciclo_de_politicas_publicas. Acesso em: 23 mar. 2017.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Objetivos do Milênio. [201-?]. Disponível em: http://www.objetivosdomilenio.org.br/gestantes/. Acesso em: 23 mar. 2017.

RAMOS, Marília Patta; SCHABBACH, Letícia Maria. O estado da arte da avaliação de políticas públicas: conceituação e exemplos de avaliação no Brasil. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 46, n. 5, p. 1271-1294, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rap/v46n5/a05v46n5. Acesso em: 17 jan. 2017.

RUA, Maria das Graças. Políticas públicas. Florianópolis: CAPES, 2009.

SECCHI, Leonardo. Políticas Públicas: conceitos, esquemas de análise, casos práticos. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

SERAFIM, Milena Pavan; DIAS, Rafael de Brito. Análise de política: uma revisão da literatura. Cadernos Gestão Social, Salvador, v. 3, n. 1, p. 121-134, 2012. Disponível em: http://www.periodicos.adm.ufba.br/index.php/cgs/article/view/213/pdf_22. Acesso em: 15 maio 2017.

SILVA, André Ricardo Batista de Barros E. Avaliação de políticas públicas: estudo do comportamento de indicadores relacionados com a saúde em municípios do estado de Pernambuco após a emenda Constitucional Nº 29. 2008. 156 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2008.

SIMÕES, Armando A. Avaliação de programas e políticas públicas. Programa de aperfeiçoamento para carreiras 2015 da Escola Nacional de Administração Pública (Enap). Disponível em: file:///C:/Users/Claudia/Downloads/AVALIACAO-DE-PROGRAMAS-E-POLITICAS-PUBLICAS-003.pdf. Acesso em: 20 jul. 2018.

SOUZA, Celina. Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, v. 8, n. 16, p. 20-45, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/soc/n16/a03n16. Acesso em: 21 abr. 2016.

TINÔCO, Dinah dos Santos; SOUZA, Lincoln Moraes de; OLIVEIRA, Alba Barbosa de. Avaliação de políticas públicas: modelos tradicional e pluralista. Revista Políticas Públicas, São Luís, v. 15, n. 2, p. 305-313, 2012. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/rppublica/article/view/847. Acesso em: 10 abr. 2017.

VICTORA, Cesar G. et al. Saúde de mães e crianças no Brasil: progressos e desafios. The Lancet, London, p. 32-46, 2011. Disponível em: http://download.thelancet.com/flatcontentassets/pdfs/brazil/brazilpor2.pdf. Acesso em: 17 fev. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.29069/forscience.2019v7n1.e421

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexada em:

                    

          

ISSN 2318-6356

Licença Creative Commons
ForScience: Revista Científica do IFMG   http://formiga.ifmg.edu.br/forscience é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.

SalvarSalvarSalvarSalvar