Distribuição de sempre-viva (Paepalanthus sp.) e canela-de-ema (Vellozia squamata) em mosaico vegetacional no Parque Nacional da Serra da Canastra, São Roque de Minas, MG

Líliam dos Reis Souza, Bruno Senna Corrêa, Moacir Alves Andrino, Wedley Gonçalves Veloso, Éder dos Reis Simões, Jéssica Elias Reis, Guilherme Henrique Rodrigues Rocha, Paulo Márcio Vieira Wild, Marília Nádia Coutinho Teixeira, Marisa Brandão Rodrigues

Resumo - visualizações: 3016


A Serra da Canastra compreende um mosaico de fitofisionomias do Cerrado, desde florestais e savânicas até campestres. O objetivo deste trabalho foi avaliar a distribuição de sempre-viva (Paepalanthus sp.) e canela-de-ema (Vellozia squamata) num mosaico vegetacional composto predominantemente por campo limpo úmido e ilhas de campo rupestre, na região da nascente do Parque Nacional da Serra da Canastra. Foi utilizada a metodologia de parcelas, estimador de densidade populacional e foram calculados 2 índices de bioindicação (Grau de confiabilidade e Fator de Importância) para avaliação da integridade biótica do ecossistema. Foram obtidos os respectivos índices de Morisita (ID) e bioindicação (GC e FI) para Vellozia squamata (ID=1,91; GC=5,25; FI=28%) e para Paepalanthus sp. (ID=2,49; GC=5,25; FI=28%). Para bioindicação, a confiabilidade foi considerada satisfatória, mas o fator de importância não. A distribuição Paepalanthus sp está intrinsecamente relacionada ao tipo e à umidade dos solos presentes no campo limpo úmido. Vellozia squamata demonstra grande sensibilidade e adaptabilidade à formação rupestre. Os processos de polinização registrados (por Hymenoptera, Diptera e Hemiptera) em Vellozia demonstram a importância deste táxon nesta fitofisionomia.

Palavras-chave: Bioindicação. Estratégia ambiental. Sensibilidade.

Sempre-viva (paepalanthussp.) and canela-de-ema (velloziasquamata) distribution in vegetational mosaic in Serra da Canastra National Park, São Roque de Minas, MG, Brazil

Abstract

This study aimed to evaluate the distribution of Sempre-viva (Paepalanthus sp.) and Canela-de-ema (Velloziasquamata) composed predominantly of moist grassland and of the Serra da Canastra National Park. The plots methodology was used, population density estimator two indexes of bioindication (Degree of Reliability and Importance Factor) were calculated to evaluate the biotic integrity of the ecosystem.The respective Morisita (ID) and bioindicators (GC, FI) indexes for Velloziasquamata (ID = 1.91; CG = 5.25, FI = 28%) and Paepalanthus sp. (ID = 2.49; CG = 5.25, FI = 28%) were obtained. For bioindication reliability was considered satisfactory, but the importance factor was not. Paepalanthussp is intrinsically related to the type and the humidity of the soils present in the moist grassland. Velloziasquamata shows great sensitivity and adaptability to the rock formation. The observed pollination processes (Hymenoptera, Diptera and Hemiptera) in Vellozia demonstrate the importance of this taxon in this phytophysiognomy.

Keywords: Bioindication. Environmental strategy. Sensibility.


Palavras-chave


Bioindicação; Estratégia ambiental; Sensibilidade

Texto completo:

PDF

Referências


BELL, D.T. Ecological response syndromes in the flora of Southern Western Australia fire resprouters versus reseeders. The Botanical Review, v. 67, n. 4, p. 417- 440, 2001.

BUTTERFIELD, J. et al. Carabid beatle communities as indicators of conservation potential in upland forest. Forest Ecology and Management v. 79, n.1, p. 63-77, 1995. doi: 10.1016/0378-1127(95)03620-2.

CONCEIÇÃO, A. A; PIRANI, J. R. Diversidade em quatro áreas de campos rupestres na chapada diamantina, Bahia, Brasil: espécies distintas, mas riquezas similares. Rodriguésia.

v. 58, n. 1, p. 193-206, 2007.

COUTO JÚNIOR, A. F. et al. Integração de parâmetros morfométricos e imagem Aster para a delimitação das fitofisionomias da Serra da Canastra, Parque Nacional da Serra da Canastra, MG. Revista Brasileira de Geomorfologia, v. 11, n. 1, 2010. Disponível em: . Acesso em: 23 jun. 2016.

INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE (ICMBIO). Plano de Manejo Parna da Serra da Canastra. Disponível em:

portal/unidadesdeconservacao/biomas-brasileiros/cerrado/unidades-de-conservacao-cerrado/

>. Acesso em: 16 jun. 2016.

MARKET, B. A.; ANTON M. BREURE, A. M.; HARALD; ZECHMEISTER, H.G. Bioindicators & Biomonitors: Principles, Concepts, and Applications. vol. 6. Pergamon, 1014 p., June 2003.

MCGEOCH, M. A. The selection, testing and application of terrestrial insects as bioindicators. Biological Reviews, v. 73, n. 2, p. 181-201, May 1998.

POOLE, R.W. An introduction to quantitative ecology. New York: McGraw-Hill. 480 p. March 1974.

PRIMACK, R.B.; RODRIGUES, E. Biologia da Conservação. Curitiba: Editora Planta, Brasil, 665 p., 2004.

RODELA, L. G. Cerrados de altitude e campos rupestres do parque Estadual do Ibitipoca, sudeste de Minas Gerais: distribuição e florística por subfisionomias da vegetação. Revista do Departamento de Geografia, n. 12, p 163-189, 1998.

ROMERO, R; NAKAJIMA, J. N. Espécies endêmicas do Parque Nacional da Serra da Canastra, Minas Gerais. Revta brasil. Bot., São Paulo, v. 22, n. 2, p. 259 - 265, Out. 1999.

VERDÚ, M. Ecological and evolutionary differences between Mediterranean seeders and resprouters. Journal of Vegetation Science, v. 11, n. 2, p. 265-268, 2000.

WALDEMAR, C. C.; IRGANG, B. E. A ocorrência do mutualismo facultativo entre Dyckia maritima backer (bromeliaceae) e o cupim Cortaritermes silvestrii (holmgren), nasutitermitinae, em Afloramentos rochosos no parque estadual de Itapuã, Viamão, RS Acta bot. bras. v. 17, n. 1, p. 37- 48, 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.29069/forscience.2017v5n2.e285

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexada em:

                    

          

ISSN 2318-6356

Licença Creative Commons
ForScience: Revista Científica do IFMG   http://formiga.ifmg.edu.br/forscience é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.

SalvarSalvarSalvarSalvar